Ao todo, 15 funcionários do IME aderiram ao Programa de Incentivo à Demissão Voluntária (PIDV), aprovado pelo Conselho Universitário em setembro do ano passado. Essa medida visa a diminuição dos gastos com a folha de pagamento da universidade em até 7% e teve início em fevereiro.

 

No dia 23 do mesmo mês, aconteceu uma confraternização de despedida para os funcionários que optaram por deixar o instituto.

 

São eles: Agueda Paredes (MAE) - Angelina Martha Chopard Gerard (SED) - Carlos Alberto da Silva (Almoxarifado) - Celi Teixeira Rabelo (CPG) - Creuza Bomfim de Oliveira Souza (Gráfica) - Eli Leite da Costa (Tesouraria) - Francisco Vieira do Nascimento (MAP) - Glorete Aparecida Medeiros (MAE) - Jeane Conceição Santos (MAC) - Joel de Souza Ferreira (Oficina) - Maria Jovita de Assunção (Copa) - Nilson Belchior (Audiovisual) - Palmira Ferreira dos Santos Reis e Silva (MAP) - Roseli Lima Novaes Silva (CPG) - Sueli Aparecida Paschoal Dian (MAT)

 

Seguem alguns depoimentos

Sueli trabalhou por 31 anos na secretaria do departamento de Matemática. “Fui secretária chefe do departamento por mais de 15 anos. Foi uma decisão difícil, porém bem pensada. O que posso dizer é que foram 31 anos de aprendizagem, trabalhei com professores tão diferentes uns dos outros, mas com cada um aprendi muito. Talvez esse detalhe tenha contribuído para a minha permanência por tanto tempo no mesmo local. O que sinto mais falta? Sinto falta de todos, da boa conversa, de aprender mais com eles, enfim, do trabalho e das boas amizades que fiz. O IME e a secretaria do MAT farão sempre parte da minha história”, conta.

Já Creuza trabalhou 36 anos na gráfica do IME. “Trabalhar no IME foi ótimo, aprendi a trabalhar na gráfica e a gostar do que fazia. Não era só trabalho, éramos uma família. Um ajudava o outro em todos os aspectos: ouvia, dava conselhos, dava bronca, ficava de cara feia, dávamos muitas risadas, brincávamos muito. Mas tudo dava certo, sempre fomos responsáveis e sabíamos a nossa obrigação. Houve algumas pedras no caminho, mas como em toda estrada a gente pula e segue em frente. Vou sentir falta da minha segunda família, amo todos eles. Nova jornada, mais tempo pros meus, principalmente pra mim mesma. Saudades sim, mas feliz”, conta.