Sob a coordenação do médico Egídio Dórea, que é também coordenador do Ambulatório de Clínica Médica do HU, o projeto chamado Envelhecimento Ativo (termo cunhado pela OMS que define o processo de otimização das oportunidades de saúde, participação e segurança, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas ficam mais velhas), teve início na USP em meados de setembro de 2016 e continua a pleno vapor.

Segundo Dórea, a palavra “ativo” refere-se à participação contínua nas questões sociais, econômicas, culturais, espirituais e civis, e não somente à capacidade de estar fisicamente ativo ou de fazer parte da força de trabalho. “O objetivo do envelhecimento ativo é aumentar a expectativa de uma vida saudável e a qualidade de vida para todas as pessoas que estão envelhecendo, inclusive as que são frágeis, fisicamente incapacitadas e que requerem cuidados”, observa.

Para isso, o projeto conduzido pelo HU trabalha em várias frentes. Busca incentivar um relacionamento mais ativo na família e no trabalho, orientar os participantes para que mantenham uma situação financeira equilibrada, além de estimular atividades físicas e dietas balanceadas, junto à investigação de fatores de risco e controle de doenças.

No final de maio de 2018 foi realizado o 2º. Simpósio sobre Envelhecimento Ativo, num encontro que reuniu centenas de participantes tão engajados quanto preocupados com a dimensão dos desafios que o Brasil tem pela frente (matéria publica no G1)

A Rede Record de televisão, numa das reportagens da série "A Caminho dos 100" mostra como os hábitos saudáveis podem proporcionar uma vida mais saudável e prolongar a expectativa de vida das pessoas. Nessa reportagem, são entrevistados, o Dr Egidio, coordenador do programa Envelhecimento Ativo e nosso colega Fábio Yogi, participante do programa (por volta dos 2m30 do video).

Vale a pena assistir a reportagem

http://noticias.r7.com/jornal-da-record/videos/conheca-os-habitos-que-podem-aumentar-a-expectativa-de-vida-dos-jovens-15062018

 

O HackathonUSP é uma competição de desenvolvimento realizada pelo USPCodeLab (UCL- https://codelab.ime.usp.br) em parceria com o Núcleo de Empreendedorismo da USP (NEU) na qual os participantes se reúnem em times para desenvolver, em apenas 24h, um protótipo de software ou hardware que proponha uma solução criativa dentro de algum tema.
Nesta edição, o HackathonUSP desafiou os competidores a pensarem sobre Ciência de Dados, uma área em grande ascensão que é considerada, atualmente, o 4º paradigma da ciência e teve uma premiação imperdível: o primeiro lugar ganhou uma viagem para o Vale do Silício e um curso na Universidade de Stanford, ambos financiados pela Pró-Reitoria de Pesquisa da USP!

Parabéns à equipe vencedora e a todos os participantes do evento!!

O evento aconteceu no Instituto de Matemática e Estatística da USP. Confira como foi essa maratona assistindo o vídeo publicado no G1. 

http://g1.globo.com/sao-paulo/videos/t/todos-os-videos/v/estudantes-da-usp-fazem-maratona-de-programacao-na-hackaton/6800630/

Os “embaixadores” tem a finalidade de organizar palestras avulsas de matemática para estudantes do ensino médio, ministradas por professores e pesquisadores do IME. Os professores abordam aspectos interessantes da matemática não cobertos, em geral, pelo currículo tradicional e falam também sobre os cursos do IME: matemática, matemática aplicada, licenciatura em matemática, estatística e ciência da computação. Na prática realiza palestras gratuitas mostrando que a disciplina não é um “monstro”.

O projeto funciona da seguinte forma: escolas de ensino médio entram no site do Embaixadores da Matemática, verificam as opções de palestras, escolhem uma e solicitam a aula para ser realizada no local solicitante ou no próprio IME, no campus da USP em São Paulo. As palestras são gratuitas e ministradas por professores e pesquisadores do IME; devido a limitações logísticas, as escolas que demandam deslocamento superior a 90 quilômetros são atendidas apenas em casos excepcionais.

Os “embaixadores” já realizaram 50 encontros com mais de 2 mil participantes. Com uma gama de possibilidades de abordagem na área da matemática, a escolha dos temas cabe aos professores palestrantes.

Segundo o professor Eduardo Colli, vice-presidente da Comissão de Cultura e Extensão do IME e um dos participantes do projeto, o processo de escolha de suas palestras passa pela preocupação de não ser necessário nenhum pré-requisito de conhecimento e que tenha alguma forma de interação.

Confira a matéria completa no site do Jornal da USP.

 

 

Defendida em agosto de 2017 no Instituto de Matemática e Estatística (IME) da Universidade de São Paulo (USP), tese de doutoramento do cientista da computação Adalberto Bosco Pereira apresentou um lado inovador dos jogos digitais comerciais para celulares, ou seja, a possibilidade de aproveitar alguns títulos, com viés de estratégia, para o aprendizado de conceitos de matemática.

O trabalho acadêmico foi realizado com duas turmas de 30 alunos do ensino básico, da faixa etária de 11 a 14 anos, de uma escola estadual de tempo integral de Cotia, município da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), no período compreendido entre o segundo semestre de 2015 e o primeiro semestre de 2016.

Intitulada Uso de jogos digitais no desenvolvimento de competências curriculares da matemática, a tese já está disponível on-line para consulta na Biblioteca Digital da USP. O trabalho acadêmico teve orientação compartilhada do professor Flávio Silva (IME) e da professora Stela Piconez, coordenadora científica do Grupo Alpha da Faculdade de Educação da USP, equipe mantida pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Conexão

Fã de games desde a infância, Pereira revela ter adotado como premissa inicial descobrir qual perfil de jogo mais agradava aos alunos. Investigou em sua tese como tais jogos poderiam favorecer o ensino e a aprendizagem da matemática, presentes de forma abstrata no currículo escolar. Foram escolhidos pelos alunos três títulos bastante populares: SimCity BuildIt, The Sims Freeplay e Clash of Clans.

Segundo ele, os três são bastante conhecidos, atraem naturalmente o interesse e “permitiram, na execução da atividade extracurricular proposta, debater questões como a aritmética básica, isto é, a realização das quatro operações fundamentais (somar, subtrair, multiplicar e dividir), equações do primeiro grau, cálculos de porcentagem e de área de polígonos, entre diversas outras atividades.

Os três jogos adotados são de estratégia, disputados em etapas e envolvem tomada de decisão, cujas escolhas mudam por completo o desfecho das partidas. Nesse sentido, Adalberto cita SimCity BuildIt, um simulador de construção e administração de cidades, onde é possível debater coletivamente questões sociais e ambientais, como, por exemplo, a geração e arrecadação de impostos, a destinação do lixo urbano e os impactos decorrentes da construção de uma fábrica em local vizinho ao de residências, fator de queixas dos moradores com poluição e barulho, entre outras questões.

“Nos dois semestres, a forma como os games foram usados foi parecida. Os estudantes jogavam livremente em seus celulares, porém programavam-se para disputar as partidas on-line e coletivamente, e assim deveriam superar os desafios”. Paralelamente, adotou-se um mapa conceitual, com um modelo de representação gráfica, capaz de indicar a evolução do desempenho dos alunos em atividades complementares de grupos focais.

Segundo Pereira, o corpo gestor e os professores de matemática da escola se mostraram receptivos à iniciativa e se surpreenderam com os resultados. “A atividade coletiva e cooperativa colaborou para diminuir o bullying e aumentar a concentração dos estudantes na sala de aula”, explica o pesquisador.

Reportagem publicada originalmente na página IV do Poder Executivo I e II do Diário Oficial do Estado de SP do dia 07/06/2018. (PDF)

Jornalista Responsável: Rogério Mascia Silveira - Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial

Estão abertas as inscrições para candidatos à Bolsa do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD) no Programa de Pós-Graduação em Matemática Aplicada

Período de inscrição: até 20 de julho de 2018

Início das atividades: a partir de Agosto ou Setembro/2018
 

Edital

O Programa de Aperfeiçoamento de Ensino, regulamentado pela Portaria GR 3588, de 10 de maio de 2005, destina-se exclusivamente a alunos de Pós-Graduação matriculados na Universidade de São Paulo nos cursos de mestrado e doutorado.

Seu principal objetivo é aprimorar a formação do pós-graduando para atividade didática de graduação e sua composição consiste em duas etapas: Preparação Pedagógica e Estágio Supervisionado em Docência.

 

Etapa de Preparação Pedagógica

A Etapa de Preparação Pedagógica assume diferentes características de acordo com a forma como a Unidade de Ensino a estrutura, podendo ser encontrada em três modalidades:

  1. uma disciplina de Pós-Graduação oferecendo créditos, cujo conteúdo estará voltado para as questões da Universidade e do Ensino Superior.
  2. conjunto de conferências, com especialistas da área de Educação, condensadas num tempo menor, tendo como tema as questões do Ensino Superior.
  3. núcleo de atividades, envolvendo preparo de material didático, discussões de curriculum, de ementas de disciplinas e planejamento de cursos, coordenadas por professores.

Etapa Preparatória

Ciclo de Palestras

Público Alvo: Alunos de pós-graduação regularmente matriculados. 

Obs: As palestras não contam créditos.

2º semestre

Disciplina: GEN 5711 Preparação à Docência de Graduação (04 créditos).

 

Estágio Supervisionado em Docência

O Estágio em Docência é realizado especificamente em disciplinas de graduação. É restrito para alunos regulares em programas de mestrado ou doutorado da USP. 

O Programa é opcional aos alunos de Pós-Graduação da Universidade, exceto àqueles que são contemplados pela Bolsa Demanda Social da CAPES, cujo regulamento solicita a realização de estágio.

Ao final do estágio, após a entrega e análise dos relatórios, o aluno tem direito a um certificado ou declaração, e poderá solicitar créditos pela atividade.

Datas e prazos:

05 a 23/11/2019 – Inscrições dos alunos no Sistema Janus.

29/11//2019 – Prazo limite para o supervisor e orientador avalizarem as inscrições.

Entrega da folha de frequência: de 20 a 25 de cada mês.

01/02/2020  a 30/06/2020 – Duração do Estágio.

30/06/2020 a 30/07/2020 – Entrega do relatório do aluno e ficha de avaliação do supervisor.

Alunos - Inscrição no Janus passo a passo

  1. Faça login no Sistema Janus

  2. Na opção “PAE”, clique em Inscrição

  3. Escolha na linha o período desejado

  4. Clique no ícone Adicionar/Alterar

  5. Preencha o formulário e Plano de Trabalho

  6. Clique em Salvar

  7. Solicite o aval do seu orientador e o supervisor da disciplina de graduação.

  8. Após concluir a inscrição pelo Sistema, o aluno deverá entregar na secretaria os seguintes documentos:

    1. Cópia do Plano de Trabalho

    2. Declaração da Conclusão da Etapa Preparatória (Cópia)

    3. Ficha do Aluno

    4. Se estrangeiro:  Cópias do RNE e do passaporte (folhas onde constam a foto e a validade do mesmo).

  1. A Comissão PAE-IME fará uma apreciação preliminar das inscrições.

  2. Confira no Janus a aprovação da sua inscrição.

 

 Orientador e Supervisor - Procedimentos para avalizar inscrições

  1. Faça login no Sistema Janus

  2. Na opção “PAE”, clique em Avalização de Inscrição

  3. Na lista de alunos, selecione um aluno inscrito

  4. Clique na opção “Ver plano de trabalho”

  5. No final da página, clique em Avalizar.

 Caso o docente seja orientador e supervisor, deverá avalizar nas 2 etapas

 

Edital de Abertura

 

Final do estágio

 

Alunos de doutorado bolsista da CAPES

A participação no estágio PAE durante o mestrado não isenta o cumprimento do estágio no doutorado.

Não será permitido que o estágio seja realizado concomitantemente com a disciplina PAE.

Disciplinas de Graduação oferecidas para o Estágio:

 

Regulamentos

 

Para mais informações, comparecer à secretaria do PAE-IME, Sala14 – Bloco B do ME, no horário das 8:00h as 16:30h. Telefone: 3091-6169

 

 Dúvidas on-line Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 
 
 
 
 
 

O que é a CUCo?

A Competição USP de Conhecimentos (CUCo) faz parte do programa Vem pra USP!, uma parceria da Universidade de São Paulo (USP) e da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, que busca incentivar os estudantes da rede pública de ensino paulista a ingressar nos cursos de graduação da USP e, ao mesmo tempo, estimulá-los a melhorar o desempenho nas disciplinas que compõem o conteúdo dos programas dos processos seletivos de acesso no ensino superior.

Todos os alunos de 1º, 2º e 3º anos do ensino médio das escolas estaduais do Estado de São Paulo podem participar da CUCo.

A competição possui duas provas. A primeira é on-line com 18 testes de múltipla escolha sobre conhecimentos gerais em ciências e matemática. Os estudantes com o melhor desempenho nessa etapa avançam para a segunda fase, que será presencial, e o conteúdo inclui 45 testes, sendo 15 de português, 15 de matemática, 10 de ciências e 5 de atualidades.

Serão premiados estudantes do 1º, 2º e 3º anos que conseguirem o melhor desempenho. Esses alunos receberão certificados da USP, poderão visitar laboratórios de pesquisa da Universidade e ainda outros prêmios que serão divulgados posteriormente no site.

Os alunos premiados que estejam cursando o 3º ano do ensino médio e tenham interesse em realizar o vestibular FUVEST 2019, estarão isentos da taxa de inscrição, ou seja, não terão que pagar a taxa. A FUVEST é a organizadora de um dos processos de seleção para estudar na USP.

Como participar?

O primeiro passo é se inscrever na Competição USP de Conhecimentos. O prazo é de 09 de maio a 08 de junho. A inscrição é feita no site http://vemprausp.org.br. Para se registrar, o estudante deve informar o número do CPF e do RG e preencher o formulário on-line.