A pesquisa do aluno Rodrigo Campiolo, doutorando do Departamento de Ciência da Computação do IME-USP, com orientação do Prof. Dr. Daniel Macêdo Batista, propõe o desenvolvimento de uma ferramenta para monitorar atividade maliciosa e detectar antecipadamente eventos e incidentes de segurança, através da correlação e análise de dados providos por sensores de redes tradicionais e outras fontes, como redes sociais, fóruns e registros de redes virtuais.

 

Os Sistemas de Alerta Antecipado (em inglês, Early Warning Systems) são muito utilizados para mitigar as consequências de desastres naturais. Um tsunami, por exemplo, se detectado com antecedência, pode ter um impacto consideravelmente menor no número de mortes e nas perdas materiais da região atingida.

 

Segundo Campiolo, mesmo quando um ataque é detectado, a cooperação limitada entre administradores de sistemas muitas vezes não evita que outros potenciais alvos sejam atacados. Justamente por isso, um bom EWS não apenas detecta ou prevê ameaças, mas propaga os alertas de forma eficiente, alcançando o maior número possível de interessados.

 

Notícia Completa

O Conselho Diretor da Sociedade Brasileira de Matemática - SBM, em reunião realizada em março deste ano, elegeu como Associado Honorário o professor Chaim Samuel Hönig.

 

Parabéns ao professor Chaim Samuel Hönig, do Departamento de Matemática do IME, pela indicação.

 

Veja lista completa

 

 

 

Não tem um time formado mas adoraria participar do SF12USP?
Seja um voluntário e integre uma equipe nesta edição.
 

 

Startup Farm em parceria com o Instituto de Matemática e Estatística da USP

As inscrições para a 12ª edição do programa de aceleração de startups da Startup Farm encerraram-se em 14 de abril. O projeto tem como parceiro oficial o Departamento de Ciência da Computação e o Centro de Competência em Software Livre do Instituto de Matemática e Estatística da USP e apoio do Núcleo de Empreendedorismo da USP (NEU).

 

A edição "Disrupt: transformando ciência em negócios tecnológicos" tem por objetivo atrair startups que tenham tecnologias ou modelos de negócios disruptivos e muito inovadores. São 15 vagas disponíveis para startups com equipes formadas (mínimo 2 e máximo  4 participantes). Para concorrer a uma vaga no programa é preciso submeter o projeto no site da Startup Farm. As startups serão selecionadas de acordo com os critérios de equipe e Ideia, embora não obrigatório, projetos resultantes de pesquisas científicas serão especialmente valorizados.  O anúncio das startups selecionadas será divulgado no dia 24 de abril.

 

O programa em São Paulo terá duração de 5 semanas e início em 1º de Maio. A última aceleração da Startup Farm aconteceu em Belo Horizonte e teve como vencedoras: Nexer (1º lugar), Bynd (2º lugar) e Virturian (3º lugar). Para Alan Leite, CEO da Startup Farm, a edição em São Paulo será muito especial. “Esperamos por novos resultados espetaculares da união da expertise da Farm com a competência técnica da comunidade USP. Queremos também deixar um legado para esse ecossistema acadêmico”, explicou.

 

A ideia do projeto surgiu em maio de 2014 quando o professor Fabio Kon, professor do DCC-IME-USP e Vice-Diretor do CCSL-USP, participou da 10ª edição da Startup Farm falando sobre sua pesquisa sobre ecossistemas de startups e viu uma oportunidade de levar a iniciativa para a USP. Para Kon, o Brasil é um país com um nível de empreendedorismo relativamente forte; no entanto, a maioria de nossos negócios são pouco tecnológicos e de baixo valor agregado. “Salvo raras exceções, há pouca tradição em transformar pesquisa científica em negócios tecnológicos inovadores. Precisamos trabalhar para mudar isso", enfatizou.

 

Este será o primeiro programa após o regresso de Felipe Matos, fundador da Startup Farm, após ficar afastado por dois anos, período no qual foi responsável pela coordenação do programa Startup Brasil. Nos onze programas anteriores, realizados em seis cidades diferentes, a Startup Farm acelerou 147 startups, entre elas a Easy Taxi, hoje presente em 40 países e considerado um dos maiores aplicativos de serviços mobile do mundo.

 

Sobre a Startup Farm

A Startup Farm é uma aceleradora-escola que visa a fomentar o empreendedorismo através de educação empreendedora, cultura e acesso a investimento. Ao colocar o empreendedor como eixo central de sua atuação, a Startup Farm oferece aos participantes de seus programas exposição a uma ampla rede de mentores e facilitadores que, aliada aos seus parceiros institucionais, acadêmicos, grandes empresas e investidores, têm gerado cases de sucesso no mercado brasileiro e internacional, como EasyTaxi, WorldPackers, NetShow.me e O Entregador (atual HelloFood) entre tantas outras que receberam investimento.

 

(Texto enviado pelo Prof Dr Fabio Kon)

 

Jacques Bouchara foi professor do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (USP), um dos fundadores do Grupo pela VIDDA/SP, em 1989 e do NEPAIDS-USP (1990). Foi militante do movimento estudantil e da ADUSP. Na sua breve, porém profícua trajetória como ativista do movimento social de AIDS, foi idealizador e um dos primeiros editores da publicação “Cadernos Pela Vidda” do GPV/SP.

 

Essa publicação surgiu para informar os soropositivos sobre suas opções de tratamento e encorajá-los a reivindicar acesso a estes tratamentos.
Rapidamente, o “Cadernos pela Vidda” se tornou uma ferramenta fundamental para assegurar a democratização e o acesso a informações sobre tratamentos, um estímulo para que pessoas vivendo com HIV/AIDS assumissem uma postura ativa na administração de sua saúde e um elemento político na luta por justiça e universalidade no tratamento.

Jacques é, portanto, um pioneiro que, de forma muito corajosa num momento em que as opções de tratamento eram tão reduzidas, contribuiu para organizar a sociedade civil na luta pelo acesso a medicamentos. Ao homenagear esse importante nome da luta contra a Aids no Brasil, o GTPI pretende valorizar o lugar da sociedade civil como polo produtor de conhecimentos e de mobilização, além de destacar a contribuição da sociedade civil na difusão dos saberes técnicos e científicos, bem como sua capacidade de deles extrair demandas políticas essenciais para a garantia de direitos, fortalecimento da cidadania e democratização da informação. Jacques faleceu em 1991, em decorrência do HIV/AIDS, mas seu legado de ativismo permanece vivo na luta do GTPI pela manutenção da universalidade do acesso ao tratamento de HIV/AIDS.

No aniversário de seu falecimento foi plantada uma árvore no jardim do IME que atualmente está muito bonita!

 

Veja mais detalhes sobre o Prêmio

 

(texto recebido do Prof. Jorge Adrian Beloqui)

 

 

A Academia Brasileira de Ciências (ABC) divulgou nesta quarta-feira, 3 de dezembro, os 24 membros titulares e dez membros correspondentes eleitos em 2014, em Assembleia Geral Ordinária, que tomarão posse em maio de 2015, durante a Reunião Magna.
 
Parabéns ao professor Vyacheslav Futorny, do Departamento de Matemática do IME, pela indicação.

 

Veja matéria completa 

O IME parabeniza o primeiro colocado da OBMEP em 2014, Ricardo Chiquetto do Lago, que é aluno do Colégio de Aplicação da USP e participa do PIC - Programa de Iniciação Científica, realizado no IME. 

 
Ricardo participou das oficinas do Projeto IME-USP-OBMEP, realizado pelo CAEM e do polo do IME do Programa de Iniciação Científica semipresencial da OBMEP, coordenado pela professora Cristina Cerri.
 
Ele é filho do professor do MAC, Alair Pereira do Lago.
 
Parabéns a todos que colaboraram com essa vitória.
 
Parabéns às duas equipes, dirigidas pelos técnicos e alunos da Pós-Graduação do IME, Marcio Oshiro e André Hahn Pereira, que conseguiram o primeiro e o segundo lugar na XIX Maratona de Programação em Fortaleza no último dia 08 de novembro.
 
Competimos com dois times (limite estabelecido pelas regras da competição) formados por alunos do IME (BCC e BM) e da Poli, na final brasileira, classificatória para a final mundial do ICPC (International Collegiate Programming Contest) que vai acontecer em maio de 2015 no Marrocos.
 

O time "Arquiduque Andorinha" formado por André Amaral de Sousa, Marcelo Tadeu de Sá Oliveira Sales e Ramon Silva de Lima, foi o sexto colocado na competição com 7 problemas resolvidos, ganhando a medalha de prata.

 
O time "I am root", formado por Marcos Massayuki Kawakami, Antonio Roberto de Campos Junior e Stefano Tommasini foi o grande campeão da Maratona, resolvendo 10 dos 11 problemas da prova. Pela segunda vez o time do IME é campeão da Maratona.
 
Parabéns aos dois times e seus técnicos, que tiveram um desempenho excelente. 
 
Mais informações disponíveis no site da Maratona